Diabetes e Visão Embaçada, qual a relação?

A pessoa com diabetes deve estar sempre monitorando a doença e controlando os níveis de glicose no sangue, para que a sua visão não seja afetada. Um sinal de alerta do descontrole do diabetes e visão embaçada, que pode ocasionar outras doenças, como a retinopatia diabética. Entenda melhor sobre a relação do diabetes e visão embaçada, a seguir.

Diabetes no Brasil

Mais de 420 milhões de pessoas já são afetadas pelo diabetes em todo o mundo, segundo um relatório da Federação Internacional do Diabetes. No Brasil, cerca de 8% da população têm a doença, sendo que as mulheres são mais atingidas do que os homens.

Outro dado preocupante é que aproximadamente 40% dos adultos que têm diabetes, ainda não receberam o diagnóstico, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes.

Quando a pessoa passa por períodos prolongados de hiperglicemia, que é o excesso de açúcar no sangue, ela pode desenvolver sérios problemas em vários órgãos, incluindo os olhos, por isso a relação da diabetes e visão embaçada.

Agendamento diabetes e visão embaçada

Por isso, quanto mais cedo for diagnosticada a doença, mais rápido poderá ser feito o tratamento para manter o diabetes controlado, evitando assim outras complicações.

O que é Retinopatia

Uma complicação muito comum do diabetes é a retinopatia. Esse problema prejudica a retina, uma membrana que fica na parte de trás dos olhos e converte a luz em sinais elétricos, transformando-os em imagens.

A retinopatia ocorre quando os níveis elevados de glicose no sangue afetam os vasos sanguíneos da retina, danificando a visão. A doença pode ser dividida em dois tipos:

  • Retinopatia não proliferativa: é quando os vasos sanguíneos do olho apresentam pequenas lesões. É o tipo menos grave da doença;
  • Retinopatia proliferativa: é quando surgem vasos sanguíneos mais frágeis no olho, que podem romper e piorar a visão e pode haver também o deslocamento da retina. Nessa fase, a doença já é considerada mais grave.

Quando a retinopatia é descoberta cedo e tratada por um oftalmologista, a chance de agravar a doença pode ser evitada, é importante prestar atenção aos sinais da diabetes e visão embaçada. 

Sintomas da Retinopatia

No estágio inicial, a doença não apresenta sinais aparentes. Mas, à medida em que ela vai progredindo, alguns sintomas podem aparecer, como a visão embaçada, manchas ou pontos escuros na visão, dificuldade para identificar cores e visão noturna prejudicada.

Portanto, é muito importante o acompanhamento oftalmológico e a realização de exames para prevenir a retinopatia, especialmente para quem tem diabetes.

Diabetes e Visão Embaçada – Como você pode se cuidar?

O paciente com diabetes precisa fazer o controle da doença e fazer exames específicos que podem detectar a retinopatia diabética. O exame de dilatação da pupila deve ser feito uma vez ao ano para identificar a retinopatia em seu estágio inicial.

Caso seja preciso, o oftalmologista pode indicar outros exames específicos que ajudam a diagnosticar a doença, como o mapeamento da retina, retinografia colorida, retinografia fluorescente (Angiofluoresceinografia), Tomografia de Coerência Óptica (OCT) e Angio OCT.

O Núcleo de Excelência em Oftalmologia oferece esses exames e possui equipamentos modernos para auxiliar no diagnóstico e tratamento da retinopatia diabética.

Tratamentos e Cirurgias

Se a retinopatia for diagnosticada através dos exames, o especialista em retina poderá realizar o tratamento, que tem o objetivo de retardar ou parar a progressão da doença. O tipo de tratamento varia conforme o tipo de retinopatia do paciente e a gravidade do problema.

A fotocoagulação é uma técnica de tratamento da retinopatia que utiliza o Laser Padrão Micropulsado. Essa técnica aquece o tecido retiniano e estimula sua cicatrização de maneira confortável e rápida para o paciente. O procedimento é ambulatorial, não sendo necessária a internação.

Outra forma de tratamento é a Terapia Antiangiogênica, que consiste na aplicação de um medicamento na cavidade vítrea do olho, que reduz o edema macular diabético, melhorando a visão do paciente. Na Terapia Intravítrea, são aplicados medicamentos específicos diretamente na cavidade vítrea. A medicação impede a formação de mais vasos sanguíneos e controla os danos à retina.

Há também o Implante Intravítreo de Dexametasona, que é feito em ambiente cirúrgico, com anestesia tópica, e a Cirurgia de Vitrectomia, indicada nos casos em que há o deslocamento da retina, edema de mácula diabético avançado ou hemorragia vítrea.

Especialista em Retina

O Núcleo de Excelência em Oftalmologia conta com uma equipe de oftalmologistas especializados em retina para ajudar no tratamento de retinopatia diabética do paciente com diabetes. São eles:

  • Dr. Rodrigo dos Anjos Versiani – CRM MG 34.376 (Diretor Técnico do NEO);
  • Dr. Fernando Pedrosa Aurélio – CRM 30.022;
  • Dr. Paulo Augusto Vieira de Aquino – CRM 51.011;
  • Dra. Rafaela Queiroz Caixeta Faraj – CRM 44.537;
  • Dra. Tatiana Queiroz Caixeta – CRM 53.008.

A retinopatia diabética tem tratamento! Para saber mais detalhes sobre a relação da diabetes e visão embaçada, baixe já o infográfico de Retinopatia e tenha acesso ao conteúdo exclusivo preparado pelo Núcleo de Excelência em Oftalmologia

Ficou com alguma dúvida?
Fale com o NEO pelo telefone (31) 3235-0001 ou pela nossa Página de Atendimento.

Agendamento diabetes e visão embaçada

Diretor Técnico: Dr. Rodrigo Versiani - CRM/MG: 34376 - RQE 30648

Consultórios: Av. Bernardo Monteiro, nº 1299 – Bairro: Funcionários. Belo Horizonte/MG

Telefone e Whatsapp de Atendimento:

(31) 3235-0001

Centro Cirúrgico: Av. Bernardo Monteiro, nº 1299 – Bairro: Funcionários. Belo Horizonte - MG

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support