Notícias

13
Jun

A importância dos colírios no Tratamento do Glaucoma

tratamento-do-glaucoma-neo

O glaucoma é uma doença ocular considerada bastante grave, por provocar danos progressivos e irreversíveis no nervo óptico, levando à perda da visão. Os danos no nervo óptico estão associados ao aumento da pressão intra ocular.

Esta doença é, na grande maioria dos casos, assintomática – o que quer dizer que o paciente quase nunca percebe que a pressão interna do olho está alterada. É comum que a visita ao oftalmologista em Belo Horizonte só aconteça depois que o paciente já perdeu pelo menos 30% do campo visual, principalmente na visão periférica.

O Glaucoma não tem cura, mas ele pode ter a sua progressão controlada e acompanhada, visando manter a visão e qualidade de vida do paciente.

Existem duas formas de se tratar o Glaucoma: uma é feita de forma clínica, com o uso de medicamentos, e a outra é cirúrgica, podendo ser convencional ou a laser.

Neste artigo, vamos falar da forma clínica de tratamento do Glaucoma: com colírios.

Os medicamentos aplicados em gotas têm a função de diminuir a produção do humor aquoso (líquido transparente que preenche o globo ocular) e / ou aumentar a drenagem deste líquido para fora do globo ocular.

Dentre os tipos de medicamentos que podem ser usados para controlar o Glaucoma, estão: Alfa agonistas adrenérgicos: diminuem a produção de humor aquoso e aumenta a circulação do líquido pelo disco óptico; Beta bloqueadores: reduzem a pressão intraocular por meio da diminuição da produção do humor aquoso; Inibidores da anidrase carbônica: reduzem a produção; Mióticos ou agentes colinérgicos: ajudam a aumentar a drenagem do humor aquoso nos olhos; Análogos de prostaglandina: reduzem a pressão intraocular por aumentarem a drenagem.

Quando o oftalmologista do Neo Hospital de Olhos em Belo Horizonte receita quaisquer destes medicamentos, ele também orienta que o paciente use somente a dosagem indicada, e que mantenha uma rotina de aplicação em intervalos regulares. Estas orientações devem ser seguidas à risca, porque:

a ausência de sintomas é perigosa:

Como o paciente não sente dor ou incômodo, é comum que ele “pule” algumas aplicações. Mas, como você viu acima, estes colírios servem para controlar a pressão intra ocular e, por consequência, a progressão do Glaucoma.

o uso excessivo dos colírios também é prejudicial:

Assim como a pouca aplicação, o excesso de colírio também é um fator preocupante.

alguns destes colírios podem provocar sintomas adversos:

O colírio pode provocar alguns efeitos indesejados, como ardência, vermelhidão, visão embaçada, dores de cabeça ou episódios de alterações cardiorrespiratórias. Se você apresentar quaisquer destes sintomas, é preciso conversar com o seu oftalmologista.

É importante lembrar que o uso contínuo desses medicamentos não poderá fazer com que o paciente recupere a visão, o objetivo é o controle da pressão somente evitando a perda de campo visual .

Agende já uma consulta com o oftalmologista especializado em Glaucoma do Núcleo de Excelência em Oftalmologia de Belo Horizonte, e mantenha a sua pressão intra ocular em dia.

Baixe o conteúdo gratuito sobre o Glaucoma, um livro digital completo para você tirar todas as suas dúvidas:

guia-glaucoma-neo

Caso ainda tenha dúvidas, fale conosco pelo telefone (31) 3235-0000 ou pelo WhatsApp (31) 99984-0445. Se preferir, acesse o site ou clique aqui para falar com a Central de Atendimento.